Blog dos voluntários do Texto Livre

www.textolivre.org

Tem sempre a primeira vez!

with one comment

“A vida tem dessas coisas. Olha só nós dois aqui, presos em um elevador, uma noite sem dormir”. Esse pequeno trecho da música “A vida tem dessas coisas”, descreve como me sinto em relação Linux? presa em um elevador. Eu sei que é estranho, mas explico.

Uso computadores diariamente, quase 10 horas por dia, mas nunca fiz um curso de computação. Tudo o que sei, aprendi errando e acertando. Sempre usei o sistema operacional Windows, uma janela para o mundo. Quando comecei a ouvir sobre o Linux pensava que era um programa complexo, por ser de autoria colaborativa.

Meu primeiro contato com o Linux se deu na Faculdade de Comunicação. Um dia estava eu diante do computador e ele parecia muito estranho. Não tinha escolha, ou fazia aquela coisa funcionar, ou não terminaria meu trabalho. Errando e acertando, encontrei os aplicativos, descobrir como salvar e localizar o arquivo depois, me conectar a internet e fazer todas as ações que com o Windows eram automáticas.

Usar o Linux me fez pensar em minha relação com as técnicas da computação? me sentir o último dos seres nesse assunto. E é assim que me sinto em relação a aprender dirigir e dar aula. Já andei de carro muitas vezes, mas não o suficiente para saber por que algo tão pequeno (painel) tem tantos botões. Fui aluna e ainda sou há muitos anos, mas não o suficiente para saber como dar aulas.

Aprender a utilizar os recursos do Linux foi uma necessidade, mas nas aulas da disciplina “Oficina de Linguagem” isso me foi oferecido como uma possibilidade. A não imposição tornou as coisas mais fáceis e hoje já não estranho as diferenças e sinto falta de algumas possibilidades – seria o Windows limitado?

Aprender é sempre difícil, ensinar me parece divino. Aprendemos e ensinamos todos os dias, mas não somos divinos. O linux soma em si essas duas ações – aprender e ensinar – com a posibilidade de criar, de entender como uma tela de cristal líquido pode conter o mundo.

A lógica dos bits fica mais paupável com o contato com o Linux, assim como as experiencias nos laboratórios tornam a química e a física reais. A teoria e a prática, a magia e a revelação do segredo são oferecidas quando se utiliza um sistema operacional que rompe com muitas das lógicas que controlam a nossa sociedade atual – o lucro acima de tudo, as coisas prontas, o piloto-automático em todas as situações. Os sistemas operacionais de autoria colaborativa nos faz pensar nossos conceitos sobre a utilização do pronto, do saber fragmetnado, das respostas imediatas, as reações ensaiadas, dos dialógos decorados dos comerciais de TV. Faça o teste, e venha conhecer uma nova janela para o mundo – e se lembre, não é só o sistema operacional que voce pode construir em conjunto, o nosso mundo também é uma construção colaborativa.

Anúncios

Written by mislaine

30 abril 2008 às 10:22 pm

Publicado em semiótica, texto livre

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. great!

    anacrisfm

    17 maio 2008 at 6:16 pm


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: